Depressão e Uso de Álcool em Pacientes com Síndrome Coronariana Aguda.

 

A diversidade da apresentação clínica de sintomas depressivos e transtorno depressivo maior (TDM) dentre os pacientes com síndrome coronariana aguda (SCA) representa um grande desafio médico desde a abordagem diagnóstica até a instituição terapêutica. A ocorrência de depressão após um episódio agudo de insuficiência coronariana é frequente e pode representar um marcador independente de mau prognóstico corroborando para o aumento de morbidade e mortalidade total e cardiovascular.

 

Transtornos depressivos estão presentes em percentuais que variam entre 30% a 50% dos pacientes que apresentam síndrome coronária aguda.  Segundo dados prévios da literatura, a depressão pode estar associada a um aumento do risco de morte após infarto agudo do miocárdio (IAM) em torno de 2,4 vezes comparativamente aqueles indivíduos sem depressão.

 

Outro fator que merece destaque é a associação da depressão e abuso ou dependência de álcool. Transtornos relacionados ao consumo de álcool estão frequentemente associados a sintomas depressivos, assim como a dependência ao álcool e desordens depressivas coexistem em maior grau do que o esperado.